Georges Wolinski, 28.06.1934 – 07.01.2015

Wolinski

Ainda é muito cedo para falar em muitas coisas. Mas fica este legado do grande Wolinski, brincando com o seu próprio* preconceito.

* A prancha é tirada do livro J’hallucine, Flammarion, 1991, inteiramente composto por histórias e situações protagonizadas por Wolinski e a sua filha Elsa.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Escreva o seu comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s